Notícias da hora

Loading...

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

1º Open de Tênis Recreio da Juventude/Festa da Uva


Caxias do Sul recebe torneio G1 em 2015


Caxias do Sul (RS) - Entre os dias 18 e 22 de Novembro a cidade de Caxias do Sul receberá o 1º Open de Tênis Recreio da Juventude/Festa da Uva, com disputas nas categorias 09 a 18 anos, masculino e feminino, simples e duplas.

Todas estas categorias são válidas pelo Ranking da Confederação Brasileira de Tênis (Grupo 1).
As inscrições vão até o dia 02 de Novembro e podem ser efetuadas pelo site www.tenisintegrado.com.br

Esta primeira edição conta com o apoio do Recreio da Juventude e da Festa da Uva.

Mais de 150 tenistas são esperados para esta 1ª edição do torneio.

Segundo Marcelo Hoehr, Gestor de Esportes do Recreio da Juventude, "este torneio marca
a volta do RJ na organização de eventos nacionais e o Recreio da Juventude estará de portas
abertas para bem receber todos os tenistas. Todos serão muito bem vindos", finaliza Marcelo


Bola Oficial: Tretorn - A Bola Oficial da FGT/CBT

Organização: Recreio da Juventude/FGT

Supervisão/Órgãos Oficiais: Federação Gaúcha de Tênis e Confederação Brasileira de Tênis

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Betterer - O homem saiu da caixa. Por @paulocleto


     O tênis mudou muito e ninguém percebeu. Ou perceberam e o fato é que mudou em tantas maneiras que algumas seguiram desapercebidas. Hoje temos dois balzaquianos arrasando no circuito, independente de Serena e Roger serem ou nao os líderes do ranking. Ambos sao os tenistas com mais títulos, entre mulheres e homens, e ambos farão uma firme marca na história. E digo isso nao pelo fato de ainda jogarem competitivamente aos 34 anos (Serena completa em Setembro). Uma década atrás, nessa idade tenistas estavam em casa pensando qual seria sua próxima atividade ou profissão. Agora ambos estão jogando o melhor tenis de suas vidas, independente de nao estarem em seus respetivos auges físicos.

     Uma das razoes para tal feito, a mais óbvia, é que os tenistas cuidam de seus corpos com muito mais know-how e a mais tempo do que antes. Imaginem se Gustavo Kuerten tivesse tido esse tipo de know-how a sua disposição quando iniciou sua carreira profissional. Além disso, Serena e Federer foram os tenistas mais dominantes de suas épocas. As consequências disso é que jogaram mais jogos importantes, adquiriram mais experiência em momentos determinantes, testaram seus golpes em situações de estresse mental/emocional e foram descobrindo com mais alcance o que funciona ou nao. Isso os fez melhores, compensando o que foram perdendo de vigor. Como fazem parte da primeira geração que investiu dessa maneira diferenciada no preparo físico, estão conseguindo alongar suas carreiras com extrema qualidade, usufruindo das descritas vantagens dessa longevidade.

     Ambos tiveram picos e vales em suas carreiras, mais ou menos severos – Serena sendo bem mais radical nisso. Roger foi bem mais uniforme, o que acrescenta a sua grandeza. Seus maiores problemas foram uma certa acomodação técnica por ter siso considerado, prematuramente, como o GOAT, e Rafael Nadal. E ultimamente Novak Djokovic. Mas, para mim, seu maior adversário sempre foi os limites que se impôs.

     Rafa Nadal deixou de ser sua pedra no sapato por razoes recentes bem conhecidas e as quais lamentamos muito. Sobre Novak, que vem jogando um tênis soberbo dentro de seus horizontes, os quais nao cansa de explorar, temos a surpreendente “aula” em Cincinnati. Sobre Serena já escrevi em outras ocasiões e escrevei mais no futuro.

     Hoje o assunto é o notável torneio que Roger jogou em Ohio e a acachapante vitória na final.
Federer venceu Cincinnati sem perder um game de serviço. Uma conquista dessas em um evento desse nível e com os Oponentes do quilate disponíveis é algo para a história. Nao só pela extrema qualidade técnica necessária para tal feito, como pela exigência mental/emocional de se fechar a porta na cara de cada adversário a cada game de serviço.

     Sim, me chamou a atenção Roger Federer conseguir manter a concentração a cada jogo, cada dia, cada game. Especialmente ele, que sempre teve a tendência a entregar uma ou duas rapaduras nos momentos de conforto. O cara jogou com o Tezao daqueles que chegam ao circuito e a confiança daqueles que estão se despedindo; um equilíbrio tanto raro como fenomenal e mortal.

     Mas, o que mais me encantou, foi que, finalmente, aos 34 anos, o suíço saiu da caixa – o que, convenhamos, deve ser difícil para um helvético, mesmo Roger Federer.

     Nunca o vi jogar assim. E sempre “cobrei” isso dele. Por que ele nao trazia para os jogos exatamente aquilo de mais surpreendente o seu talento pode oferecer? Um tênis incalculado, inaudito, imprevisível, impremeditado. Porque somente os gênios sao capazes de manter a qualidade, enquanto incorporam os adjetivos do instinto, algo que foge da equação da repetição, da lógica, do acervo construído dos reles mortais. No entanto, desconsiderando lampejos esporádicos e insuficientes, Roger se recusava a adotar uma estratégia onde os ingredientes excepcionais de seu repertório nao ficassem ocultos. Parecia ter pudor em apresentar o que pudesse ser visto como um avilte ao adversário; como se muito do normalmente fazia nao o fosse.

     Quem viu a final, ou mesmo os outros jogos de Cincinnati, sabe do que falo. Quem nao viu perdeu o Cara respondendo serviço do #1 do mundo quase na linha do saque, chip and charge como há muito nao se vê, esquerdas de bate pronto, de slices, com top ou chapadas, voleios esticado no máximo da tensao corporal e acertando, direitas de ataque que viravam deixadinhas com uma sutil munhecada, forehands a la squash, serviços à punhalada e outras cositas más. 

     O Homem saiu da caixa. Agora quero ver quem o coloca lá de novo antes do final do US Open.

     Acho que só ele mesmo.

Autor:
Fonte: http://paulocleto.ig.com.br

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Torneio ITF Future em Santa Maria, no ATC



Santa Maria/RS - A cidade de Santa Maria voltará a fazer parte do cenário tenístico internacional no mês de novembro. As quadras do Avenida Tênis

Clube receberão, entre os dias 31 de Outubro e 08 de Novembro mais uma edição do torneio ATC Future, evento da série “Future” válido pelo ranking mundial da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais). Este é o quinto ano consecutivo que o clube sedia um evento deste porte e desta vez conta com uma premiação total de US$10 mil.


Segundo Marcelo Portella, Vice-Presidente do Avenida Tênis Clube, "o ATC Future 2015 está dentro do cronograma preestabelecido nas questões técnicas e financeiras". Portella salienta também que, "com muita luta todos estão conseguindo buscar junto aos parceiros os recursos necessários para realização de mais uma edição do ATC Future, torneio que é uma prioridade para o Avenida Tênis Clube, já que somos um clube originalmente tenístico. Tenho certeza que será um grande evento", finalizou Marcelo Portella.


São esperados jogadores do Brasil e do Exterior. A chave principal será realizada entre os dias 02 e 08. O qualifying, que classificará oito tenistas para a chave, acontece no final de semana anterior, dias 31 de Outubro e 1º de Novembro.


O ATC Future 2015 é uma realização do Avenida Tênis Clube, e conta com o patrocínio de Biomédica, Construtora Jobim, Frazzon Imunização, Hipersul, Supermercados Beltrame, Tretorn, DB Graus Engenharia e Prefeitura de Santa Maria.


Órgãos Oficiais: ITF (Federação Internacional de Tênis, CBT (Confederação Brasileira de Tênis) e FGT (Federação Gaúcha de Tênis).


Mais informações sobre o evento estão disponíveis em www.atc.esp.br


Daniel G. Levy
Email: danielglevy@gmail.com

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

1. Copa Fila de Duplas - Recreio Cruzeiro



Boa tarde tenistas

É com grande satisfação que comunico que as inscrições para Torneio Aberto de Duplas Recreio Cruzeiro – Pedrinho Sports estão abertas
Basta ir no site do www.recreiocruzeiro.com.br e fazer sua inscrição
O torneio será de 25 a 27 de setembro nas quadras do Recreio Cruzeiro

Serão várias classes:

1ª, 2ª e 3ª classes masculina
Feminino
Mista
Senior 35 e sênior 45

O torneio é aberto, podes jogar com parceiro do clube ou não sócio
Podes se inscrever em mais de uma classe, com a mesma dupla ou com outro parceiro
Procurem enquadrar-se na sua categoria , duplas não são simples, quem não está acostumado convém jogar uma categoria abaixo

Conto com a presença de todos

Alexandre Stoduto
Departamento de Tênis
Recreio Cruzeiro

domingo, 9 de agosto de 2015

A corda quebrou! E agora?

Posso chamar um let? Posso trocar de raquete? O que fazer quando a corda quebra entre o primeiro e o segundo saque?

Original: /revistatenis

Talvez você já tenha passado por essa situação. Você está lá, preparado para sacar. Lança a bola. No movimento, ela acerta a quina do aro e a corda arrebenta. O saque vai fora. Não resta outra alternativa a não ser trocar de raquete. Então você vai até sua raqueteira, pega um equipamento novo e... Primeiro saque?

Nada disso! Trate de sacar o segundo serviço. Segundo as regras, para ter direito novamente ao primeiro saque, a situação teria que ser “inversa” – que você também já deve ter presenciado algumas vezes. No caso, você precisa ter executado um primeiro serviço, a bola ter ido fora e o devolvedor, mesmo a bola tendo sido fora, tê-la golpeado e, com isso, quebrado a corda de sua raquete. Dessa forma, se ele for trocar de equipamento, você terá direito a reiniciar o ponto com um primeiro saque.

Vale lembrar que o recebedor tem ou não a opção de trocar de equipamento caso a corda se quebre nesse momento entre o primeiro e o segundo saque. Caso ele opte por continuar jogando com a corda quebrada, o sacador deve, portanto, ir para o segundo serviço. Em torneios profissionais, contudo, não é permitido aos jogadores iniciarem o ponto com a corda quebrada.

Quebrou no meio do ponto

Mas e quando você está no meio daquela troca de bolas infinitas, batendo aqueles spins pesados e, de repente, a corda arrebenta? É possível voltar o ponto? Definitivamente, não. Você deve continuar a jogada até o término e, só depois, está autorizado a trocar de equipamento. Há casos clássicos de tenistas que jogaram pontos importantes com a corda quebrada, como, por exemplo, o chileno Nicolas Massú no match-point nas quartas-de-final das Olimpíadas de Atenas em 2004 contra Carlos Moyá.

Mas e quando a corda quebra no movimento do serviço, a bola vai boa (ou seja, acerta o quadrado de saque do outro lado da quadra) e o adversário responde? Continue jogando. Você deve terminar o ponto com a corda rompida e só depois pode trocar de raquete.

Dúvidas, sugestões, opiniões: danielglevy@hotmail.com
Daniel G. Levy é árbitro certificado pela ITF 


Clínica de Tênis de Verão - Floripa


Faça parte do grupo no facebook: Grupo da Serra Gaúcha - Clínica de Tênis e tenha benefícios especiais !!!

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Florianópolis será a sede do confronto entre Brasil e Croácia na CopaDavis

JFonte: Globo.com

     Depois de ser palco do título histórico de Teliana Pereira neste domingo, no Brasil Tennis Cup, a cidade de Florianópolis voltará a sediar uma competição importante do tênis mundial.

     O confronto entre Brasil e Croácia, válido pela repescagem do Grupo Mundial da Copa Davis, será na capital catarinense entre os dias 18 a 20 de setembro. A Confederação Brasileira de Tênis (CBT) ainda vai oficializar a informação, adiantada pelo prefeito da cidade, Cesar Souza Junior, em discurso após o encerramento da competição de WTA.

     Santa Catarina recebeu um confronto da Davis pela última vez em 2007, quando o time liderado por Gustavo Kuerten venceu o Canadá, de Daniel Nestor. As partidas aconteceram em Costão do Santinho, mesmo local do torneio de WTA desta semana. Além de Guga, Flavio Saretta, André Sá e Ricardo Mello completaram a equipe brasileira que disputava a semifinal do Zonal Americano.

     A CBT acabou de confirmar o Costão do Santinho como sede !!! (Fonte: facebook do Brasil Open de tênis)


     RESERVEM A DATA !!!!!

     A Clínica de Tênis (Addo) preparou um pacote super especial para quem desejar prestigiar:

Apto Duplo Standard - 1.006,00 por pessoa
Apto Duplo Superior (1 dorm) - 1.257,00 por pessoa
Apto Triplo ou Quadruplo Superior (2 dorm) -1.131,00 por pessoa
Apto Quintuplo ou Sextuplo Superior (3 dorm) - 1.069,00 por pessoa
ingresso R$ 300,00 por pessoa

Check-in na sexta-feira e check-out no domingo.
Valores por pessoa para duas noites.
*** VAGAS LIMITADAS ***

É necessário depósito de 20% para confirmar a reserva.
Para efetuar a reserva, mande mensagem no Facebook para; +Clínica de Tênis  

Florianópolis foi palco do torneio WTA vencido por Teliana Pereira (Foto: Cristiano Andujar / Divulgação)Florianópolis foi palco do torneio WTA vencido por Teliana Pereira neste domingo (Foto: Cristiano Andujar / Divulgação)

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

20 recordes desconhecidos sobre o mundo do tênis.



     O site português Bola Amarela fez uma pesquisa inusitada e levantou 20 recordes desconhecidos sobre o mundo do tênis. Como por exemplo, o brasileiro Fernando Meligeni que é o único tenista campeão de duplas sem ter perdido nenhuma das sete finais na sequência.
Recordes famosos como os 17 troféus de Grand Slam de Roger Federer, os 109 títulos de Jimmy Connors, a partida mais longa da história entre John Isner e Nicolas Mahut em Wimbledon, e até mesmo as 81 vitórias consecutivas de Rafael Nadal no saibro, não constam nesse lista, pois se tratam de marcas inusitadas e até certo ponto desconhecidas.

Confira abaixo os 20 recordes inusitados do mundo do tênis:
1. Jogador com mais derrotas diante de um líder do ranking
- Brad Gilbert – 21 derrotas
2. Jogadora mais jovem a conquistar um torneio
- Tracy Austin – 14 anos e 21 dias, em Portland
3. Jogador que mais duplas-faltas cometeu num encontro
- Marc Rosset diante de Michael Joyce em Wimbledon, em 1995 – 30 duplas-faltas
4. Jogadora mais jovem a vencer um encontro num Grand Slam
- Steffi Graf – 13 anos e 343 dias
5. Jogador que alinhou mais aces consecutivos
- Sam Querrey – 10 aces
6. Jogador com ranking menor a conquistar um torneio ATP
- Lleyton Hewitt – 550.º mundial
7. Recordista de sets ganhos consecutivamente em Grand Slams
- Fred Perry – 62 em Wimbledon e 55 no US Open
8. Mais vitórias sobre adversários do top 10
- Roger Federer – 189 vitórias, sendo 26 consecutivas
9. Jogador com mais títulos conquistados antes de completar 20 anos
- Bjorn Borg – 17 títulos
10. Jogador com mais séries de vitórias seguidas em partidas com melhor de cinco sets
- Bjorn Borg
11. Jogador que mais tempo passou a conquistar torneios em todos os tipos de superfícies
- Bjorn Borg – 4 anos
12. Jogador a vencer mais torneios do Grand Slam sem perder qualquer set
- Bjorn Borg – 3 anos
13. Jogador com maior quantidade de títulos de duplas conquistados sem nunca ter perdido qualquer final
- Fernando Meligeni – 7
14. Jogador com maior número de vitórias sobre terra batida em Grand Slams
- Guillermo Vilas – 75
15. Jogador com maior número de triunfos sobre um número um
- Boris Becker e Rafael Nadal – 19
16. Recordistas de vitórias em apenas uma temporada
- John McEnroe – 85 triunfos e 3 derrotas, em 1984
-  Martina Navratilova – 86 triunfos em 87 encontros, em 1983
17. Maior sequência de vitórias em Grand Slams
- Don Budge – 34, entre 1937 e 1938, tornando-se o único jogador homem a ganhar seis Majors consecutivos
18. Jogador que mais encontros venceu depois de salvar pelo menos um match point
- Nicolas Lapentti, Gegi Roset e Goran Ivanisevic
19. Únicos jogadores que perderam um tie break depois de estar vencendo por 6-0
- Brad Gilbert e Richard Krajicek
20. Jogador que mais match points salvou antes de vencer um encontro
- Wilmer Allison – 18

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Clínica de tênis. Simplesmente.

     Ola amigos tenistas,

     Fiz esse texto e estou publicando no blog para externar o que sinto sobre esse tipo de evento e explicar o que ocorre durante uma semana. Ficaria muito feliz e irei responder a todos, que contribuírem com comentários. Vamos lá.....

     Na última semana, um grupo grande de tenistas da serra gaúcha invadiu o hotel Costão do Santinho em Floripa, para participar de uma clínica de tênis. Além do tênis e aproveitar a infraestrutura incrível do resort, os participantes tiveram a oportunidade de participar também do BAILA COSTÃO, evento que iniciou na quinta-feira. Muitos tenistas se arriscaram no tango, bolero e outras danças, aproveitando os ensinamentos dos professores de danças lá presentes.

      Também tivemos a oportunidade de circular ao lado de pessoas do meio profissional do tênis. Encordoadores passando experiências e explicando o 'tuning' das raquetes dos profissionais, cordas, pressão, máquinas. O quali do torneio WTA, com atletas de todo o mundo fizeram a felicidade de marmanjos e da criançada. Todas super atenciosas, distribuindo sorrisos e autógrafos. 

      A Cecília Kirmayr, esposa do ex-tenista pró, Carlos Kirmayr apresentou durante o jantar no restaurante Vitória, na ala internacional, sua tenista preferida, a Paula Gonçalves, que tratou a galera super bem e recebeu muita energia da nossa turma para o torneio.

     Já no jantar de encerramento, no restaurante Trattoria, entre massas e pizzas, o Addo, que é o organizador da clínica, nos presenteou com a presença da guerreira Teliana Pereira. Muito carinho ela distribuiu para o pessoal. Sem esquecer da alegria da dança do CADA UM NO SEU QUADRADO e da SABRAGEM !!!!!  Lembrando que, para conseguir quebrar a garrafa de espumante daquele jeito, tem que saber dar SLICE !!!

     A Clínica de Tênis é um sistema de treinamentos e atividades que tem por objetivo, fazer o aluno tenista vivenciar diariamente uma série de experiências, onde, todos os participantes recebem ensinamentos que visam produzir aprendizados práticos, de ordem tática e técnica alem de oficinas, palestras, jogos e torneios. Na segunda e terça, o treinamento em quadra teve o foco na identificação do golpe mais adequada para a posição da quadra em que estamos. Verde, amarelo, vermelho !!!!!! Definindo, arriscando, defendendo !!!!!  A noite, uma visão geral sobre regras foi explicada e chamou muito a atenção a regra da PRIMEIRA CHAMADA !! Conforme o presidente da federação paranaense, Silvio, o jogador PRECISA mostrar a marca, caso chame alguma bola fora. Vale a chamada apenas se não tivermos a marca. Na terça a noite, a vida de um tenista profissional foi dissecada pelo mestre Glauco Pereira. Na quarta a noite, para os pais, o Glauco também se reuniu para repassar dicas. Entre a quinta, sexta e sábado, seguiram os treinamentos de voleios, subidas a rede, saques e outros golpes, intercalados com torneio de duplas, que integrou todos os participantes.

     O evento atende desde grupos de crianças a jovens e adultos e inclusive, pessoas acima de 70 anos !!!! Tivemos o prazer de conhecer o seu OLAVO LUNARDI. 72 anos !!!! Ele é INCANSÁVEL !!!!!!     Para todos terem uma idéia, de tanto que ele joga e correu, acabou treinando na quadra minha, do Felipe Andreazza, Junior Correa, Fabio Lino, Rafael Susin !!!!!! 

     Por fim, a clínica de tênis tem como filosofia uma gama de particularidades organizadas visando atender a grande nação de tenistas apaixonados, seus familiares e amigos.

     Metade da história das clínicas eu e a Kelen tivemos o privilégio de poder participar e já encaro aquele carnezinho de pagamento como meu plano de saúde. Mas além de contribuir para nossa saúde, esse carnê nos possibilitou conhecer pessoas incríveis de todo o Brasil. Inclusive, de fora do Brasil. Quem não lembra do cantante Pablito, do Alejandro (hj fisioterapeuta ATP) e do Rocco ( Rocco at the funcion) !??!?!  E o bag do Meligeni, hein Volnei !?!?!?!?  Momentos incríveis !!!

     
     Com esse texto, apresento então as fotos da semana, tiradas pelo mestre @BRUNOROPELATO (sugiro segui-lo no Instagram. Fotos fantásticas). Podem se deliciar !!!!!


     Ja temos data para a próxima: 3 a 10 de Janeiro/16.  Se programe e acompanhe o blog, para informações: www.clinicadetenis.com



quarta-feira, 8 de julho de 2015

Reservas de quadra via smartphone. Juvenil inovando.

     O departamento de tênis do Clube Juvenil de Caxias do Sul, com seu presidente Ricardo 'MOLA' Viero Costa e o vice de esportes, Bruno Brunelli, a partir de hoje, 28 de Agosto, disponibilizam o sistema automatizado para reservas das quadras de tênis.

     Discutido em várias reuniões, o regulamento foi ajustado e pontos como as aulas de tênis, cancelamentos, torneios,  entre outros assuntos, ficaram alinhados com o pensamento da grande maioria dos associados.

     O sistema pode ser acessado por sócios do clube, via desktop ou até mesmo por  telefones. Já está disponível para ANDROID e IOS, nas respectivas lojas, gratuitamente.

     Todas as regras definidas no regulamento foram adaptadas no sistema e a expectativa do presidente Ricardo é que ocorra maior harmonia e praticidade na utilização da estrutura.

Exemplo a ser seguido.





Vejam como funciona no celular:






sábado, 4 de julho de 2015

Número de fãs de tênis dobra no Brasil

     Pesquisa do IBOPE Repucom aponta que o número de superfãs de tênis dobrou no Brasil e passou de 14%, em outubro de 2014, para 29%, nesta última edição do levantamento. 
 
     Entre os que se dizem muito interessados pela da modalidade, 54% são homens, sendo que 36% têm mais de 40 anos, 47% possuem nível superior e 23% ganham mais que R$5.241 por mês. 
 
Número de fãs de tênis dobra no Brasil, segundo IBOPE Repucom 

     Quando questionados sobre os torneios de tênis, 54% dos fanáticos pelo esporte disseram ter muito interesse em Roland Garros, enquanto 44% mencionaram gostar do torneio de Wimbledon. 

     Entre o total de usuários da internet, o interesse é de 20% e 17%, respectivamente.

     “Já comprovamos que a popularidade de todo esporte depende de alguns pilares, como a existência de um ídolo, que exerce o papel de embaixador de determinada modalidade. Por isso, esperamos que a recente conquista do Marcelo Melo – que acaba de vencer o torneio de duplas de Roland Garros – contribua para o aumento do número de fãs de tênis nas próximas edições da pesquisa”, afirma José Colagrossi, diretor do IBOPE Repucom.

     Atualmente o Brasil conta com 2 ATPs, um 250 e um 500 e 2 WTAs Internationals que ajudam a divulgar o esporte também.

     Realizada em abril de 2015, o Sponsorlink, maior pesquisa especializada em esporte do mundo e que está presente em 12 países, representa a população de internautas brasileiros e considera superfãs aqueles que declaram ter “muito interesse” pelos temas abordados. Para esta pesquisa, foram entrevistados 1.000 internautas.

Fonte: Tennisview (modificado)

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Caxiense Demoliner jogando chave principal em Londres


Caxiense Marcelo Demoliner estreia com vitória na chave de duplas em Wimbledon arquivo pessoal/divulgação
Demoliner venceu a primeira da carreira em Grand Slam Foto: arquivo pessoal / divulgação
 
 
Fonte: Jornal Pioneiro
 
Após passar pela etapa de qualificação, o caxiense Marcelo Demoliner e o neozelandês Marcus Daniell avançaram nesta quarta-feira para a segunda rodada da chave de duplas em Wimbledon. Foi a primeira vitória do tenista brasileiro de 25 anos em um Grand Slam. Eles bateram o holandês Robin Haase e o francês Benoit Paire por 3 sets a 0, parciais de 6/3 7/6(7/4) e 6/1, em 1h44min.

Na próxima rodada, ainda sem data e horário confirmados, Demoliner e Daniell vão enfrentar o espanhol Guillermo Garcia-Lopez e o tunisiano Malek Jaziri.

Atual 88º colocado no ranking de duplas, o caxiense está jogando Wimbledon pela terceira vez. Em 2013, atuou com o brasileiro André Sá e acabou eliminado pelos irmãos Bryan na primeira rodada. No ano passado, jogou com o indiano Purav Raja.

Demoliner e Daniell chegam ao Grand Slam após dois bons resultados em challengers na grama, com vice-campeonato em Surbiton e título em Ilkley. Na chegada a Wimbledon, eles tiveram que disputar o qualificatório e perderam na rodada final, mas entraram na chave como lucky-losers.

terça-feira, 30 de junho de 2015

Taça Vêneto Mercantil


     A taça Vêneto Mercantil é prêmio máximo que um clube, filiado ao Circuito de Tênis da Serra Gaucha, pode atingir.
     
     É um troféu itinerante, que fica de posse do clube atual campeão do circuito.


     Os campeões até agora foram:

2006 - GIOVANNA CAMPO CLUBE - Farroupilha 

2007 - RECREIO CRUZEIRO - Caxias do Sul  

2008 - BOHRER INDOOR - Caxias do Sul  

2009 - CLUBE JUVENIL - Caxias do Sul

2010 - CLUBE JUVENIL - Caxias do Sul

2011 - BOHRER INDOOR - Caxias do Sul

2012 - BOHRER INDOOR - Caxias do Sul

2013 - RECREIO CRUZEIRO - Caxias do Sul

2014 - CLUBE JUVENTUDE - Caxias do Sul




** Taça Vêneto Mercantil foi patrocinada pela empresa Vêneto Mercantil, de Flores da Cunha. ( http://www.venetomercantil.com.br/ )

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Aberto de Vacaria - ATUALIZAÇÃO





     Aviso aos tenistas !! Já está aberto as inscrições para a etapa do circuito de tênis da serra gaúcha que ocorrerá na cidade de Vacaria no mês de julho , sendo que as categorias que iniciarem no primeiro final de semana já irão ser encerradas no mesmo, não havendo a necessidade de vir duas vezes, a menos que optem por se inscrever em mais de uma categoria !!!

     As inscrições deverão ser efetuadas pelo site www.ctsg.com.br, quem não for cadastrado é fácil e rápido , contamos com a presença de todos, corre que haverá limite de inscritos por categoria , qualquer esclarecimento estou a disposição, um abraço !!!



Houve uma prorrogação na data de inscrição para 1ª CLASSE SM da Etapa Vacaria CTSG, sendo assim a mesma será no segundo final de semana da competição.

Categorias do segundo final de semana (1ª SM, 2ª SM, 4ª SM, 35 A, 2SF, 55 anos) poderão se inscrever até dia: 05/julho, pois os jogos serão realizados a partir do segundo final de semana que será dia 11 e 12 de julho.

As categoria 12 anos mas e fem estão abertas e poderão se inscrever para o primeiro final de semana, onde as inscrições encerarão neste domingo dia 28.

Att

Adm CTSG

segunda-feira, 22 de junho de 2015

10 lições de vida que eu aprendi jogando tênis por @GabrielReynard


Fonte: @GabrielReynard



     Eu comecei a jogar tênis muito cedo, devia ter uns 5 anos de idade quando entrei na escolinha. Na minha família todos jogam, meu pai é viciado, minha prima quase foi profissional, meus tios jogam, minha mãe já jogou e todos meus amigos jogavam, comigo não seria diferente.
     Desde então eu desenvolvi uma paixão muito grande por este esporte, mas também sentia raiva por não saber fazer outra coisa, como jogar futebol ou andar de moto por exemplo.
      Os anos se passaram e eu continuo jogando tênis, já fazem 20 anos. Nesse tempo, aprendi muito através do esporte e evolui como pessoa, passei por cada fase da minha vida jogando tênis e isso contribuiu muito para minha formação.
     Sendo assim, optei por compartilhar o que eu aprendi em 20 anos de tênis que me ajudaram a ser uma pessoa melhor, assim quem sabe posso inspirar você a começar jogar também:

1. A prática leva à perfeição

Quando eu comecei jogar eu era muito novo e impaciente, queria logo acertar a “bolinha” e ganhar. Era meu objetivo, mas percebi que não seria possível conquistá-lo se eu não praticasse mais, visto que haviam outros colegas que jogavam melhor que eu.
Isso por si só já me deixava bravo, eu era extremamente imediatista e não aceitava a ideia de que levaria tempo até eu ficar bom em algo, a minha visão era: “tênis é só bater a raquete na bolinha, qual o segredo?”.
Nem de perto tênis é isso, o esporte é muito mais complexo do que parece e surpreende todos que tentam pela primeira vez. Isso me impactou e trouxe uma motivação extra pra mim, a de ficar bom logo para que eu pudesse ganhar de outras pessoas.
Aprendi portanto que praticar é o melhor caminho para atingir a perfeição, e que a perfeição é constante, infinita. Comecei a treinar 4 dias por semana e jogava o máximo que podia, com amigos, família e amigos da família.
O resultado era visível, a cada jogo eu me sentia mais confiante e forte, os adversários percebiam isso e eu fui (com os anos) me tornando um adversário cada vez mais “casca grossa”.



2. O objetivo não pode ser vencer, mas sim evoluir

Lembra que eu disse que meu objetivo era vencer? Então, eu descobri que é errado pensar assim. Antes de querer vencer é preciso querer evoluir.
No tênis os objetivos tem que ser gradativos, um pouco de cada vez. Você começa querendo melhorar sua batida, depois a movimentação dos pés, seu saque, condicionamento físico, voleio e assim por diante. A cada evolução você se aproxima mais do objetivo “vencer”, que apesar de ser o cerne de uma partida de tênis não é algo tão relevante assim, visto que você pode perder um jogo mas sair de lá vitorioso consigo e feliz com o desempenho.
Já vi muitos jogos onde o atleta perde e é ovacionado pela arquibancada, tudo isso porque deu seu máximo na partida, protagonizou lances incríveis e acabou sendo (apesar da derrota) o grande vencedor do dia, aplaudido por todos, inclusive por seu adversário.
Esse “tesão” que o tênis proporciona não tem preço, saber que você evoluiu tecnicamente e tem jogado melhor é o grande objetivo de cada tenista.


3. Pensar antes de agir e de forma rápida fazem a diferença
O tênis me ensinou que a capacidade de raciocinar é muito importante, até mais que o seu condicionamento físico. Pensar e executar a jogada certa coloca o tenista em vantagem, por isso é tão importante o silêncio das arquibancadas em uma partida, para que o jogador possa se concentrar ao máximo e executar os melhores golpes.
Isso quer dizer que o tenista deve pensar o tempo todo no que irá fazer na partida, como vai se comportar perante o adversário e o que será preciso para fazer um bom jogo. Mas imagine agora fazer tudo isso em milésimos de segundos antes da “bolinha” chegar para você rebater?
É difícil, por isso sou muito grato ao tênis por ter me ajudado a desenvolver essa habilidade de pensar ates de qualquer movimento e de tomar decisões rápidas.



4. Você pode estar ganhando de lavada quando de repente…

Aqui vai um ensinamento importante que aprendi com o tênis, não há vitória antes do “apito final. Já joguei partidas em que estava ganhando por 4 x o quando de repente vi meu adversário crescer e virar o jogo, abalando totalmente minha confiança.
Isso aconteceu várias vezes!



Fiz uma partida uma vez com um garoto que estava com o braço quebrado, logo que o vi entrando em quadra pensei: “esse jogo tá na mão, o cara não tem como ganhar de mim com o braço desse jeito”. Mas foi exatamente o que aconteceu, ele entrou super confiante e foi “pra cima”, eu me assustei e acabei perdendo para o cara com o braço quebrado.
Não me conformo até hoje, mas aprendi na pele a importância de não subestimar um adversário.

5. Pequeno x Grande, Novo x Velho

Uma das coisas que eu mais gosto no tênis é que ele é um esporte social, onde crianças, adolescentes, adultos e mais velhos jogam. Um garoto de 16 anos pode facilmente ganhar de um adulto de 30 por exemplo, uma pessoa mais velha pode ganhar da mais nova, a garota pode ganhar do garoto e por aí vai.
É um esporte maravilhoso que faz com que pessoas de todos os tipos se envolvam com um único objetivo: jogar tênis e se divertir.



6. Aprenda a chorar, é normal e faz bem

Muitas vezes eu chorei após perder uma partida, eu queria ter vencido mas não consegui. É neste momento que “bate” aquela “deprê” em que você fica pensando no que poderia ter feito diferente, aonde você errou etc.
A verdade é que chorar meio que dá um alívio no peito, finalmente você conseguiu relaxar depois de uma partida tão tensa. É o melhor momento para erguer a cabeça, fixar bem nos pontos fracos e voltar lá para o tópico número 1, onde digo que praticar leva à perfeição.
Mas lembre-se, chorar de felicidade também é muito bom, vencer um torneio ou uma partida importante e cair no choro é descarregar as emoções e comemorar o feito, afinal, quem treina e se esforça para conquistar algo sabe o “gostinho” que uma vitória tem.



7. Cuide do seu corpo, você mora dentro dele

O tênis me ensinou que o nosso corpo é a nossa casa, portanto, é preciso se alimentar bem, cuidar da saúde, praticar esportes e atividades físicas, se divertir, descansar e manter um “lifestyle” saudável para que você possa se sentir melhor.
Um atleta profissional leva a sério isso, é um grande diferencial em competições. Mas se você é um atleta ocasional, como eu, o importante mesmo é se cuidar e tentar manter um vida saudável o máximo possível, evitando excessos.
E claro, jogar tênis sempre que possível!


8. Aproveite o networking que o tênis oferece
Tênis é de certa forma um esporte caro de se praticar, não é comum encontrar quadras disponíveis a população no Brasil, geralmente elas estão em clubes privados que nem todos tem acesso.
Eu nasci no interior e na minha cidade tênis é um esporte popular, há um clube especializado que reúne um bom número de associados, muitos deles da cidade e outros turistas de final de semana que vão para passear e jogar algumas partidas.
Muitos destes jogadores são empresários na cidade, comerciantes, funcionários públicos, executivos e profissionais liberais (médicos, advogados e dentistas por exemplo), o que faz do clube um excelente lugar para se fazer networking.
Eu mesmo fiz grandes amizades por lá e colho bons frutos desses relacionamentos até hoje. Sou muito grato ao tênis por ter feito bons amigos, pessoas que certamente vão agregar em minha vida e que no futuro poderei fazer negócios, contratar os serviços e até mesmo vender algo para eles.



9. Tudo depende somente de você

Apesar de ser um clichê, é a mais pura verdade. O tênis me ensinou que nesta vida tudo depende dos nossos esforços, de quanto realmente queremos algo.
É claro que a sorte, o networking e outros fatores podem contribuir para você alcançar seus objetivos, mas a grande verdade é que tudo o que você quiser conquistar depende unicamente de você, se quer ser campeão é preciso trilhar um caminho até este objetivo, se quer apenas melhorar seu jogo, é preciso força de vontade para ir praticar e assim por diante.
O tênis é um esporte que te ensina a ter disciplina, pois, te desafia constantemente para isso. Se você quer melhorar seu jogo precisa ter disciplina para ir treinar, se quer emagrecer, mesmo coisa.



10. Divirta-se

Aprendi com o tênis que mais importante que vencer uma partida é se divertir jogando ela. Isso não faz de você menos profissional ou então um adversário mais fácil, na verdade, faz de você uma pessoa melhor.
Como disse na lição 2, o objetivo não pode ser vencer, tem que ser alguma outra coisa que te leve a este caminho. Eu acredito que se divertir é o melhor deles, pense bem, quando você faz algo que te faz feliz a chance de você fazer isso bem feito é muito maior. Consequentemente a vitória ficará mais próxima.
E mesmo se você não ganhar, pelo menos você se divertiu, jogou com um amigo, deu risada dos seus erros e foi para a casa se sentindo bem, satisfeito em ter suado a camisa e feliz em ter jogado.
Esse é o espirito do tênis, um esporte extremamente competitivo mas que nos permite ser feliz em cada partida, pois, o que realmente importa é entrar em quadra e fazer um bom jogo.



Acabou…

Espero que tenham gostado deste texto e que de certa forma eu tenha inspirado você a jogar tênis, quem sabe não nos encontramos por aí para bater uma “bolinha”?

Leia meu blog, será uma honra recebê-lo!
Me segue no
Twitter!

Projeto Massificação do Tênis cresce e passa a ter oito núcleos

Em 2015, projeto pretende impactar 1.600 crianças

     O Projeto Massificação do Tênis, que visa difundir a prática do esporte em todo o Brasil, agora conta com oito núcleos: Araçariguama (SP), Itapevi (SP), Campinas (SP), Santana de Paranaíba (SP), Poá (SP), Araras (SP), Itanhaém     (SP) e Vila Velha (ES), inaugurado em maio. O Projeto Massificação do Tênis,   que desenvolve um trabalho junto a prefeituras, clubes e centros de treinamentos, é iniciativa do Instituto Tênis, instituição sem fins lucrativos que tem como objetivo apoiar o desenvolvimento do tênis nacional.

     Além do aumento do número de núcleos (de seis no final de 2014 para oito), este ano, o projeto pretende impactar 1.600 crianças de seis a 10 anos. Para isso, será realizado um trabalho junto às escolas públicas das regiões onde o projeto está instalado para selecionar aqueles alunos que gostem e se identifiquem com o esporte e levá-los a um ambiente profissional, conseguindo um melhor desenvolvimento.

     “Para que essas crianças se desenvolvam, tanto como cidadãos como futuros   profissionais, o Projeto Massificação do Tênis está fazendo parcerias com centros de treinamentos privados, como clubes e academias de tênis, para levá-los para treinar em ambiente profissional”, afirma Cristiano Borelli, diretor-executivo do Instituto Tênis.

     De acordo com o coordenador do Projeto Massificação do Tênis, Marcelo Motta, com um maior número de crianças participando do Projeto, tem-se também mais jovens se destacando no tênis e com potencial de progredir na carreira como tenista. “Além de contribuirmos para identificar novos e futuros talentos, queremos proporcionar uma oportunidade de desenvolvimento profissional para jovens carentes, seja com a carreira de treinador ou como atleta”, comenta Motta.
     Um importante diferencial do Projeto Massificação do Tênis é que, além de seguir diretrizes da Federação Internacional de Tênis (ITF) relativas aos materiais adequados à faixa etária dos atletas mirins, são utilizados avaliações, gráficos de desempenho, planos de aulas e estratégias de como abordar as crianças para ensinar o esporte. “Os materiais são apropriados tanto ao tamanho quanto ao peso e dimensões das crianças, o que facilitou o manuseio e, consequentemente, o prazer pela prática.     
     Outro ponto positivo foi o envolvimento dos professores, fundamental em todo o processo e extremamente positivo, pois para a maioria deles o tênis é uma novidade”, afirma Motta.
Aprovado junto ao Ministério do Esporte, com receitas provenientes da Lei de Incentivo ao Esporte e patrocínios privados, o projeto chega a Vila Velha com parceria com o academia NTênis. Em Poá, a parceria é com o projeto Gerando Falcões e em Santana de Parnaíba, com a Fundação Eprocad. Já em Campinas, o Projeto conta com o apoio da escola Alberto Medaljon, do Instituto Ricardo Mello e da Hípica de Campinas.

     Nas cidades de Araçariguama, Itapevi, Araras e Itanhaém, o projeto é desenvolvido junto às prefeituras, com a utilização de centros esportivos das cidades.
Além destes oito núcleos vinculados ao Ministério do Esporte, outros três núcleos têm o acompanhamento do Instituto Tênis, com orientações aos professores e acompanhamento do desenvolvimento das crianças. Eles estão localizados em Belém, Fortaleza e Brasília.
Ainda de acordo com o coordenador do Projeto, o objetivo de longo prazo é atingir 500 mil crianças. “Nossa intenção é levar a prática do esporte para todas as regiões do Brasil”, finaliza Motta.
Sobre o Instituto Tênis: Fundado em 2002, o Instituto Tênis é uma instituição sem fins lucrativos que apoia o desenvolvimento do tênis nacional. Reconhecido como centro de treinamento referência de atletas de alto rendimento, executa um planejamento diferenciado, com o objetivo de formar tenistas capazes de alcançar o posto de número 1 do mundo.  O Instituto conta com o patrocínio do Itaú, Vivo e da Fundação Lemann e co-patrocínio das empresas SAP, Braskem, PDG, KPMG, Alupar e Babolat. São empresas parceiras a SONNE, a FLOW e o INA. A instituição recebe apoio da Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério do Esporte.


Mais informações para a imprensa:
Instituto Tênis

Note! Comunicação
Danieli Massone e Katiuscia Teodoro
imprensa@institutotenis.org.br
(11) 3796-9067

quinta-feira, 18 de junho de 2015

NOVIDADE - CLÍNICA DE TÊNIS - WTA - COSTÃO - FLORIPA - OSMOZE


     A terceira edição do WTA de Florianópolis, Brasil Tennis Cup, terá uma novidade. O torneio, que acontece entre os dias 25 de julho e 01 de agosto, será disputado pela primeira vez em quadras de saibro ao nível do mar no Costão do Santinho. As condições são favoráveis às tenistas brasileiras que terão a oportunidade de disputar um torneio da elite do tênis feminino mundial na corrida pela vaga nos Jogos Olímpicos Rio-2016.

     Durante a Clínica de Tênis, teremos o QUALI do torneio, mini-clínica para crianças com atletas que participarão do torneio e as principais atletas trocando bolas e experiências com os participantes da clínica !!!!  Será um momento único !!!!



    Após dois anos na sede da Federação Catarinense de Tênis, o torneio com premiação de US$ 250 mil acontecerá no Costão do Santinho Resort. As quadras duras também dão lugar ao saibro, piso preferido das brasileiras, o mesmo no qual Teliana Pereira conquistou este ano seu primeiro título WTA.


     “Foi muito importante no primeiro momento do evento ele vir para a Federação Catarinense. Mudamos para o Costão em função de estar muito claro para a gente a importância deste momento do tênis feminino no Brasil”, afirma Rafael Westrupp.

     Garantidas diretamente na chave principal sem a necessidade de convite ou qualifying, Beatriz Haddad Maia e Teliana Pereira aprovaram a mudança de local do torneio e acreditam que a nova casa será bastante favorável às brasileiras.

    “Eu gostei, é meu piso favorito, onde me sinto melhor e mais confiante. Será uma mudança que irá beneficiar as brasileiras esse ano”, afirma Teliana.

     Criado com o objetivo de recolocar o Brasil no mapa dos grandes eventos do tênis feminino mundial e assim desenvolver o tênis feminino brasileiro, o WTA Brasil Tennis Cup ajudou a melhorar o patamar do tênis brasileiro. Em 2013, antes da primeira edição, a número 1 do Brasil era a 116ª do ranking mundial, hoje é 76ª, uma grande evolução.

     Além de Bia e Teliana, o torneio ainda tem espaço para mais tenistas brasileiras, com Paula Gonçalves podendo entrar direto na chave como alternate, além dos três wild cards disponíveis para a organização. No qualifying, uma das vagas será da campeã brasileira sub-23 anos.

     Além das brasileiras, uma das estrelas deste ano em Florianópolis será a americana Bethanie Mattek-Sands, campeã de duplas do Australian Open e de Roland Garros neste ano, que integra o top 10 mundial de duplas da WTA.



     Como nas edições anteriores, o evento terá a presença de jovens estrelas da WTA, como a alemã Annika Beck, de 21 anos, que já tem um título WTA na carreira, conquistado o ano passado em Luxemburgo, a croata Ajla Tomljanovic, de 22 anos, que este ano fez sua primeira final de WTA.
Ao todo, o Brasil Tennis Cup tem 21 atletas de 14 países que estão garantidas diretamente na chave principal, com representantes de Alemanha, Argentina, Brasil, Cazaquistão, Croácia, Espanha, Estados Unidos, Japão, Luxemburgo, Paraguai, Polônia, Romênia, Rússia e Suécia. A lista de inscrição do qualifying se encerra no dia 7 de julho.

 Fonte: TenisBrasil (editado)



     Ainda dá tempo !!!!

     Consiga descontos e condições especiais !!!!  Faça parte do grupo da serra gaúcha e participe da clínica de tênis.

     Acesse o site www.clinicadetenis.com e veja maiores detalhes.



terça-feira, 16 de junho de 2015

A grama ao quadrado

Por José Nilton Dalcim - 14 de junho de 2015 às 21:19



     Depois de tanto tempo, enfim a ATP fez o que a maioria exigia e dobrou a importância da curta temporada sobre as quadras de grama. Embora apenas um novo torneio tenha sido criado, o de Stuttgart, que abandonou o saibro, o que valeu mesmo foi elevar Queen’s e Halle para a condição de ATP 500. Como nem tudo é perfeito, ainda não entendi por que manter os dois na mesma semana, dividindo as grandes estrelas e enlouquecendo os organizadores.

    Queen’s tem mais de 100 anos de história, não é um torneio qualquer. Sempre foi considerado o mais importante aquecimento para Wimbledon, e a partir de agora ficou ainda mais seletivo, já que a ATP forçou a redução da chave principal de 48 para 32 participantes, ao mesmo tempo que a bolsa saltou para 1,7 milhão de libras. Ficou tão absurdamente forte que o último a entrar direto foi o russo Mikhail Youzhny, 58º da lista de inscrição.

     Teremos jogos incríveis logo na primeira rodada, especialmente Stan Wawrinka contra Nick Kyrgios, ou seja, o 4 contra o 28. E o australiano é nada menos que o quadrifinalista de Wimbledon do ano passado. Também teremos Grigor Dimitrov, o atual campeão, contra Sam Querrey, vencedor em 2010. As quartas de final apontam para Wawrinka-Nadal e Dimitrov-Andy Murray, duelos que realmente poderão valer como excelente prévia para Wimbledon.

     Halle ficou um tanto mais fraco, nem tanto pelo ranking dos principais nomes mas pelo histórico menos expressivo na grama, caso de Kei Nishikori, Gael Monfils, Pablo Cuevas. Ainda assim é fácil ver que Roger Federer deverá ter trabalho se quiser chegar ao oitavo troféu: Kohlschreiber é freguês mas já ganhou o torneio; Stakhovsky tirou o suíço na segunda rodada de Wimbledon de 2013; Tomic conhece bem a grama;. e Berdych decidiu Wimbledon depois de tirar o suíço.

     Aliás, não pode passar batido o fato de que esta revigorada temporada de grama tem tudo para recuperar o interesse do público alemão pelo tênis, o que despencou ano a ano com a falta de um grande campeão. Stuttgart contratou Nadal e viu um sucesso incrível de audiência. Halle tem sempre Federer como maestro principal, garantia de casa cheia, além do ídolo Tommy Haas e da esperança Alexander Zverev.

     E Nadal? Cumpriu muito bem seu papel. Demorou para pegar ritmo nas primeiras rodadas, o que é absolutamente normal não só pela dificuldade natural do piso mas também por seu momento, e evoluiu até apresentações convincentes no sábado e domingo. Tudo bem, Gael Monfils e Viktor Troicki não têm currículo na grama. No entanto, a forma com que Rafa se impôs, trabalhando muito bem o saque e apostando nos voleios, reforça aquilo que eu previra após Roland Garros: mesmo não sendo o Nadal de antes, ele é bom o suficiente para qualquer top 20.

     Claro que ganhar Stuttgart não aumenta seu grau de favoritismo para Wimbledon. Terá de mostrar mais em Queen’s, onde possui duas boas primeiras rodadas para embalar. Pode ser impressão falsa minha, porém me pareceu que o espanhol tirou algumas libras de pressão das cordas – talvez esteja algo na casa das 48 ou 50 -, o que seria uma alternativa frutífera na ideia de ganhar peso e profundidade nos golpes de base e ainda maximizar o efeito topspin. De quebra, ainda poupa o braço.